DIÁLOGO 15

COMO ACELERAR A RECUPERAÇÃO ECONÔMICA VERDE 

Líderes de bancos de desenvolvimento discutem o papel das instituições na busca de uma economia mais verde, fundamental para a retomada pós-pandemia.

"

    O CAMINHO SUSTENTÁVEL É O ÚNICO POSSÍVEL PARA A ECONOMIA

"

"Antes, o papel tradicional foi muito de dar créditos a empresas específicas, talvez empresas com proteção climática mais evidente que outras, como o biogás no Brasil, como fornecedores de energia eólica. Acho que isso vai continuar no futuro, mas o papel novo dos bancos de desenvolvimento vai ser muito mais de desenvolver o mercado financeiro verde. Realmente investir em créditos, financiamentos verdes e de proteção climática."

Claudia Arce

Diretora | Kfw

"É óbvio, por mais que em um passado mais longínquo não se pensasse assim, se você quer crescer o seu PIB potencial, se quer gerar empregos, ter país próspero, naturalmente a agenda econômica tem que andar junto com a social e tem que andar junto com a ambiental, é um tripé."

Gustavo Montezano

Presidente | BNDES

Uma das funções mais citadas pelos painelistas em relação a bancos de desenvolvimento é a de assistência técnica, de ajuda e orientação aos estados e municípios nesse caminho para um mundo mais sustentável e economicamente saudável. "Não só no nível de prefeituras, mas estados e governo federal, a questão não é falta de recursos, mas sim como aplicar os recursos”, explica Montezano. “Então, como operar a máquina pública de uma forma eficiente, como fazer projetos que consigam alavancar os ativos públicos não utilizados com o capital privado, é um grande caminho para o sucesso, que pode monetizar de uma forma sustentável os nossos ativos", disse o presidente do BNDES.

 

Leany Lemos também comentou sobre o papel da conexão que os bancos devem fazer com líderes de órgãos públicos, que, segundo ela, já têm a questão do meio ambiente como uma de suas preocupações.

"Com relação aos setores públicos, eu acho que, na verdade, já estão sensibilizados. Uma das agendas aqui na última semana [Lemos assumiu o BRDE no dia 3 de dezembro] é que muitos prefeitos eleitos querem conversar com o banco, querem saber o que o banco pode oferecer, o que o banco pode  fazer."

Leany Lemos

Presidente | BRDE

Foi levantada também a questão da Amazônia, muito discutida atualmente. Claudia Arce destacou que o Kfw já vem colaborando para a sua preservação. "O fato é que temos linhas com a Amazônia há muito tempo, e uma cooperação muito importante diretamente também através do BNDES, mas também através de vários estados da Amazônia. Acho que a linha mais conhecida é o fundo da Amazônia, que é alimentado fortemente pela Noruega e pela Alemanha. São linhas de objetivos diferentes, umas linhas são mais de proteção, outras são de reflorestamento e as terceiras são de assistência técnica às comunidades locais para a proteção climática, proteção da floresta."

 

REALIZAÇÃO

Instituto Clima e Sociedade – iCS
Rua General Dionísio, 14, Humaitá
Rio de Janeiro, RJ, Brasil
CEP 22.271-050
Tel +55 (21) 3197-6580

 

Embaixada da República Federal da

Alemanha em Brasília
SES - Avenida das Nações, Qd. 807, lote 25  

Brasília, DF, Brasil - CEP 70.415-900

Tel +55 (61) 3442-7000

Diálogos Futuro Sustentável é uma parceria do Instituto Clima e Sociedade - iCS e Embaixada da República Federal da Alemanha em Brasília.

dialogos@climaesociedade.org

 

ORGANIZAÇÃO

Colab206
Tel +55 (21) 92000-3400

contato@colab208.com.br