DIÁLOGO 13 

RECUPERAÇÃO ECONÔMICA | América Latina

Apresentações
Parcerias

DIÁLOGOS reuniu autoridades e especialistas que veem saídas para a crise gerada pela pandemia do COVID19 a partir de planos que considerem também o clima.

A Embaixada da Alemanha e o Instituto Clima e Sociedade (ICS), com o apoio do C40, Instituto Alziras e Fundación Avina, promoveram nesta segunda-feira, 10 de agosto mais uma edição da série Diálogos Futuro Sustentável - Mudanças Climáticas e Recuperação Econômica. O evento reuniu Lucía Sosa, prefeita de Esmeraldas (Equador); Carolina Leitao, prefeita de Peñalolén (Chile); Teresa Surita, prefeita de Boa Vista (Roraima), e Ilan Cuperstein, diretor adjunto para a América Latina do C40 (Grupo C40 de Grandes Cidades para Liderança do Clima).

“Temos que mudar a ‘rota do nosso desenvolvimento’, ou seja, repensar os pilares nos quais a economia dos países latino americanos é baseada”

Ilan Cuperstein

Diretor Adjunto para a América Latina, C40

No painel internacional, a discussão girou em torno dos desafios que as cidades enfrentam na área ambiental e nas propostas para a recuperação econômica verde pós-pandemia que não deixem de lado a mobilidade urbana e a funcionalidade para os cidadãos.

 

Ilan explicou que o investimento na mobilidade urbana é essencial. Segundo dados apresentados no novo relatório do C40, a emissão do CO2 teve uma queda durante a pandemia, a maior desde a Segunda Guerra Mundial. “Mas esse número não pode ser comemorado, afinal, isso se deu apenas pela queda econômica das cidades e dos países. Ou seja, agora precisamos entender como voltar ao desenvolvimento econômico sem causar novos danos ao meio ambiente.” E acrescenta, “É importante garantir apoio dos governos nacionais e regionais, além de trabalharmos em conjunto com instituições internacionais para que as cidades e as prefeituras tenham verba para os projetos propostos na agenda de recuperação econômica verde.”

“Aqui estamos mudando o pensamento da cidade, trabalhando com a questão da tecnologia, levando para as escolas a inovação. A tecnologia é essencial para nos conectarmos com o mundo e com o próprio Brasil”,

Teresa Surita

Prefeita de Boa Vista, Roraima

Surita apresentou alguns resultados da priorização da mobilidade no planejamento urbano “Todas as regiões estão interligadas. Com isso, mudamos a qualidade de vida, a cultura local e da cidade. Tivemos uma redução de 33% no número de acidentes no trânsito envolvendo ciclistas. Junto com a ciclovia, fizemos 350 km de calçada com urbanização, com árvores e locais verdes”, acrescenta a prefeita. Segundo ela, foram implantados 40 km de ciclovia, tornando Boa Vista a sexta capital do país com mais ciclovias por habitante.

Já a prefeita Carolina Leitao, de Peñalolén, no Chile, apresentou propostas baseadas em educação para uma recuperação econômica e sustentável.

“Incentivar serviços locais, agilizar as patentes nacionais, impulsionar o empreendedorismo e estimular os negócios verdes são pontos importantes na economia para gerar uma riqueza local. Com isso, estamos com planos de formação, cursos, especializações e alfabetização digital para criarmos uma nova onda de empregos já dentro desse novo momento.”

O exemplo de Esmeraldas, no Equador, veio das ações para incentivar o comércio local e criar uma cidade inteligente.

“Aqui em Esmeraldas estávamos construindo planos de economia verde e em meio a toda essa pandemia tivemos que nos reestruturar. Somos uma província turística e sofremos muito com tudo. Então, passamos a olhar para o que tínhamos de força interna”, disse a prefeita Lucía Sosa. “Decidimos elaborar um plano de mudanças climáticas que está sendo implementado na nossa agenda verde, sem deixar de lado a mobilidade e a funcionalidade da cidade inteligente, que é o que queremos para a população.”

Carolina Leitão

Prefeita de Peñalolén, Chile

O evento promoveu uma reflexão comparativa entre as iniciativas que estão sendo adotadas nas cidades da América Latina e no Brasil, na tentativa de garantir coerência entre os pacotes de recuperação e o cumprimento das metas climáticas.

"É extremamente relevante que os países na América Latina se comprometam com pacotes de recuperação que levem a agenda climática em consideração, mas é no nível local que se impõem muitos dos desafios de implementação na prática. Por isso, é essencial que prefeitos e prefeitas participem destas discussões de maneira efetiva para que possam influenciar nos planos, propondo soluções possíveis de serem executadas e apresentando saídas que efetivamente melhorem a qualidade de vida da população na ponta"

Ana Toni

Diretora-executiva do Instituto Clima e Sociedade.

"

   EXPERIÊNCIAS DE CIDADES DA AMÉRICA LATINA PARA UMA RECUPERAÇÃO ECONÔMICA VERDE VIRAM CASE

"

Lucía Sosa

Prefeita de Esmeraldas, Equador

O seminário foi pautado em casos de boas práticas em políticas sustentáveis, como o da cidade de Boa Vista, em Roraima, que atualmente conta com 40km de ciclovia, além da implementação de energia solar em pontos estratégicos da cidade.

 

REALIZAÇÃO

Instituto Clima e Sociedade – iCS
Rua General Dionísio, 14, Humaitá
Rio de Janeiro, RJ, Brasil
CEP 22.271-050
Tel +55 (21) 3197-6580

 

Embaixada da República Federal da

Alemanha em Brasília
SES - Avenida das Nações, Qd. 807, lote 25  

Brasília, DF, Brasil - CEP 70.415-900

Tel +55 (61) 3442-7000

Diálogos Futuro Sustentável é uma parceria do Instituto Clima e Sociedade - iCS e Embaixada da República Federal da Alemanha em Brasília.

dialogos@climaesociedade.org

 

ORGANIZAÇÃO

Colab206
Tel +55 (21) 92000-3400

contato@colab208.com.br